Mediunidade

Back to homepage

Devemos acreditar em tudo que os Espíritos dizem?

Os Espíritos desencarnados são almas de homens que já viveram na Terra. Portanto podem ser portadores dos defeitos e qualidades que tinham quando encarnados. Podemos acreditar nas palavras dos homens bons, mas não devemos dar crédito aos conselhos daqueles de má índole. Da mesma forma deveremos proceder com o mundo dos Espíritos. Devemos analisar cada comunicação dada pelos Espíritos, qualquer que seja o nome que assinem. Os bons trazem mensagens edificantes e com algum fim útil e querem sempre o bem da humanidade. Os atrasados ou maus podem nos enganar com palavras belas e melífluas, podendo tomar emprestado nomes de pessoas conhecidas ou Espíritos iluminados para nos impressionar. Desses devemos nos precaver, conforme nos ensina Allan Kardec em O Livro dos Médiuns.

É proibido evocar espiritos? Podemos evocá-los em reuniões mediúnicas?

Sim, podemos e devemos evocar os Espíritos. Allan Kardec dedicou um capítulo inteiro do Livro dos Médiuns (capítulo 25) ensinando como, por quê e para quê servem as evocações. São suas estas palavras: “Podemos evocar todos os Espíritos, seja qual for o grau da escala a que pertençam” (item 274 de O Livro dos Médiuns). Disse ainda que não é possível tratar de obsessões graves sem evocar as entidades envolvidas no processo. Certamente as evocações, bem como toda e qualquer atividade no campo da mediunidade, só devem ser praticadas por grupos experientes, que tratam a questão com a seriedade devida. Caso contrário, permanecerão sob jugo de Espíritos enganadores e brincalhões, pois eles existem por toda parte.

Tenho mediunidade e sinto necessidade de trabalhar, portanto trabalho sozinho em casa. Há algum inconveniente nisso?

Os médiuns que trabalham sozinhos são muito mais sujeitos à ação nefasta dos Espíritos enganadores. Não aconselhamos tal procedimento. Ninguém pode trabalhar na mediunidade porque tem necessidade ou porque quer praticar a caridade. Isso é um equívoco. A mediunidade é um dom que Deus dá ao homem para servir à causa do Bem e, dessa forma, crescer em moralidade. A prática da mediunidade sem orientação causa muitos prejuízos a que dela se serve.