Missão dos Espíritas

Missão dos Espíritas
image_pdfimage_print

Não ouvis já se agitar a tempestade que deve dominar o velho mundo e tragar no nada a soma das iniquidades terrestres?

Ah! bendizei o Senhor, vós que haveis posto vossa fé em sua soberana justiça e como novos apóstolos da crença revelada pelas vozes proféticas superiores, ide pregar o dogma novo da reencarnação e da elevação dos Espíritos, segundo tenham bem ou mal cumprido suas missões, e suportado suas provas terrestres.

Não vos amedronteis! As línguas de fogo estão sobre as vossas cabeças. Oh! verdadeiros adeptos do Espiritismo, sois os eleitos de Deus! Ide e pregai a palavra divina.

A hora é chegada em que deveis sacrificar à sua propagação os vossos hábitos, os vossos trabalhos, as vossas ocupações fúteis. Ide e pregai: os Espíritos, do alto, estão convosco.

Certamente falareis a pessoas que não quererão escutar a voz de Deus, porque essa voz as chama sem cessar à abnegação; pregareis o desinteresse aos avaros, a abstinência aos dissolutos, a mansuetude aos tiranos domésticos e aos déspotas: palavras perdidas, eu o sei; mas, que importa!

É preciso regar com os vossos suores o terreno que deveis semear, porque ele não frutificará e não produzirá senão sob os esforços reiterados da enxada e da charrua evangélicas. Ide e pregai!

Sim, vós todos, homens de boa fé, que credes na vossa inferioridade e olhais os mundos dispostos no infinito, parti em cruzada contra a injustiça e a iniqüidade.

Ide e destruí esse culto do bezerro de ouro, cada dia mais e mais invasor.

Ide, Deus vos conduz! Homens simples e ignorantes, vossas línguas se soltarão, e falareis como nenhum orador fala. Ide e pregai, e as populações atentas acolherão com alegria as vossas palavras de consolação, de fraternidade, de esperança e de paz.

Que importam as armadilhas que serão colocadas no vosso caminho! Só os lobos se prenderão nas armadilhas de lobos, porque o pastor saberá defender suas ovelhas contra os verdugos imoladores.

Ide, homens grandes diante de Deus, que, mais felizes que São Tomé, credes sem pedir para ver e aceitais os fatos da mediunidade quando mesmo não tenhais conseguido jamais obtê-los em vós mesmos; ide, o Espírito de Deus vos conduz.

Marchai avante, pois, falange imponente pela vossa fé! e os grandes batalhões dos incrédulos se desvanecerão diante de vós, como as brumas da manhã aos primeiros raios do sol nascente.

A fé é a virtude que ergue as montanhas, vos disse Jesus; todavia, mais pesados do que as mais pesadas montanhas, jazem no coração dos homens a impureza e todos os vícios da impureza.

Parti, pois, com coragem para erguer essa montanha de iniqüidades que as gerações futuras não devem conhecer senão no estado de lendas, como não conheceis, vós mesmos, senão muito imperfeitamente, o período de tempo anterior à civilização pagã.

Sim, as comoções morais e filosóficas vão manifestar-se em todos os pontos do globo; a hora se aproxima em que a luz divina apresentar-se-á sobre os dois mundos.

Ide, pois, e levai a palavra divina: aos grandes que a desdenharão, aos sábios que dela pedirão prova, aos pequenos e aos simples que a aceitarão, porque será sobretudo entre os mártires do trabalho, essa expiação terrestre, que encontrareis o fervor e a fé.

Ide; estes receberão com cânticos de ação de graça, e cantando louvores a Deus, a consolação santa que lhes levais, e se inclinarão agradecendo o quinhão de suas misérias terrestres.

Que a vossa falange se arme, pois, de resolução e de coragem! Mãos à obra! a charrua está pronta; a terra espera; é preciso trabalhar.

Ide, e agradecei a Deus pela tarefa gloriosa que vos confiou; mas meditai que entre os chamados ao Espiritismo, muitos se extraviaram; olhai a vossa rota e segui o caminho da verdade.

Título: Missão dos Espíritas

Espírito Erasto, anjo guardião do médium, Paris, 1863.

Livro: O Evangelho segundo o Espiritismo.

Categories: Artigos Doutrinários