Retorno à Pátria Espiritual – Nota de Desencarnação

Retorno à Pátria Espiritual – Nota de Desencarnação
image_pdfimage_print

“A Diretoria Executiva da Federação Espírita de Mato Grosso do Sul, com pezar, mas saudosos, informa a desencarnação da nossa querida irmã Madalena Andréa Simioli, no dia 10 de novembro do corrente, em Campo Grande, e solidariza-se com seus familiares e com os trabalhadores do Centro Espírita Discípulos de Jesus.

A Federação Espírita de Mato Grosso do Sul será eternamente grata pelo trabalho que ela realizou como uma das mais ativas pioneiras que trabalharam desde a fundação e instalação FEMS, em 31 de março de 1979, em Campo Grande, capital do nascente Estado de Mato Grosso do Sul, após a divisão do Estado de Mato Grosso, em 11 de outubro de 1977. Apesar de nunca ter ocupado nenhum cargo nos órgãos da FEMS, foi um baluarte e uma das pricipais auxiliares da Sra. Maria Edwiges Borges e do Sr. Jeronymo Gonçalves da Fonseca, ex-Presidentes da FEMS, especialmente nos 21 anos que a FEMS ficou instalada na sede do Centro Espírita Discípulos de Jesus.

Que nossas preces e vibrações de amor e paz possam envolvê-la e que a Espiritualidade Maior possa ampará-la no Plano Espiritual, permitindo que ela desfrute cada vez mais desse tesouro que a Doutrina Espírita nos oferece.

Certos da continuidade de nossa união e crescimento mútuo, despedimo-nos desta valorosa amiga citando o texto do Editorial da revista Reformador, da FEB, de novembro de 1999:

 “(…)Morrer, pois, é prosseguir vivendo em outra dimensão vibratória, com os sentimentos adquiridos, com a visão espiritual ampliada, com os amores, as alegrias e saudades do ser, mas também com as imperfeições que não conseguiu superar.

Morte não é o sono eterno, mas, sim, a libertação do Espírito, enquanto não retoma à carne, em nova e laboriosa existência.

Para a Nova Luz, a morte, longe de ser a porta para o nada, é a continuação da vida eterna. Em lugar dos fantasmas teológicos, dos dogmas e dos suplícios infernais, ela acena com a esperança, que todos pode­mos cultivar sem medos.”

Madalena Simioli

Categories: Notícias