Trovas

Trovas
image_pdfimage_print

Este amigo trovador
Vem falar mais uma vez,
Nada supera o amor
No caminho de vocês.

Versejando sou feliz
Mas a canção que me acalma
É o pequeno bem que fiz,
Bênção de luz em minh’alma.

O Peres vem me lembrar
Não as vezes que chorei,
Mas sim as que fiz chorar
Nos momentos que falhei…

Este pobre bardo esteve
Por tantas vidas errando…
Mão Divina me conteve
E despertei soluçando…

Cá estou, portanto, ativo,
Refazendo meu destino.
Que bom encontrar-me vivo
Como um ramo pequenino…

Este velho trovador,
Com a licença do Peres,
Vem dizer que só o amor
Te dará a paz que queres.

Vai servir no anonimato,
Vai plantar na vinha santa,
Amor, virtude, recato…
É a conduta de quem planta

Sem desejo de escolher
O destaque, a posição…
Vai trabalhar e crescer,
Não te assuste a solidão…

Eu, Abílio, trovador,
Venho falar a vocês,
Nada tem maior valor
Que o bem que um dia se fez.

 

Poema recebido no Centro Espírita de Caridade Dias da Cruz.

Espírito Abílio pela psicografia de Lucimar Laidens.

Título: Trovas

Data: 30/03/2017

 

Categories: Psicografias na Casa