Quando formos felizes

image_pdfimage_print

Quando os últimos soldados retornarem ao lar e os derradeiros tiranos vergarem ao peso de suas consciências…
Assim que as últimas sombras declinarem no horizonte terrestre, pulverizadas pelos faróis incandescentes do progresso…
No dia em que secar a nascente das lágrimas e adormecerem os soluços no cálido seio da Terra saciada em suas ânsias de paz…
Estaremos, então, vislumbrando a implantação do Reino e não mais a fome e a miséria devastarão corpos e almas, não mais a metralha ceifará vidas no holocausto do materialismo. 
O orgulho, a cobiça e a vaidade, liderados pela enfermiça e tirânica sede de tudo ter, serão banidos da Terra e então seremos simples, mansos, pacíficos e misericordiosos…
Semearemos a paz, a alegria e a esperança, colhendo cem por um dos formosos frutos de amor lançados no mundo novo, momento feliz em que o Cristo estará entre nós porque o teremos, enfim, compreendido.

Amigo da Casa
Mensagem psicografada por Lucimar Laidens no mês de junho de 2005 – CEC Dias da Cruz – Passo Fundo – RS