Organizações do Mal

image_pdfimage_print

Transferidos do corpo somático para a Erraticidade inferior os Espíritos perversos e cruéis, desde há milênios, dominados pelo primarismo que os caracteriza, vêm criando Organizações do Mal, nas quais se homiziam aqueles que se demoram no ódio e no rancor, em alucinadas tentativas de combater o programa do Bem na Terra. Enlouquecidos pelos propósitos inferiores que agasalham, investem contra todas as atividades de enobrecimento que objetivam conduzir o planeta a um estágio mais elevado, ao mesmo tempo, combatendo com vigor e crueza aqueles que se transformam em instrumentos superiores da Vida.

Tornando-se adversários voluntários da edificação do reino dos Céus na Terra, a sua tem sido a luta inglória e sem possibilidade de êxito a que se atiraram através dos tempos, renascendo em grupos de sicários da Humanidade e desencarnando até quando o amor compassivo de Deus os recambia às expiações dolorosas e reeducadoras.

Os missionários e apóstolos de todas as épocas sofreram-lhes a pertinácia, não havendo sido exceção os guias do pensamento, da arte, do conhecimento, da ciência, dos diversos ramos do progresso humano. Não poucos tombaram nas suas ciladas odientas, sucumbindo antes de cumprirem o ministério para o qual vieram. Muitos enlouqueceram sob a rudeza e constância da sua inspiração infeliz. Inumeráveis se deixaram arrastar a situações indignas, derrapando em conúbios hediondos de vulgaridade ou se tornando algozes da sociedade, de grupos, de pessoas que lhes caíram desprevenidas nas mãos…

Acreditando-se poderosos, esses Espíritos do mal, ainda doentes e ignorantes da supremacia das Leis, procuram competir com Deus ou com Jesus, que detestam, sem que se dêem conta que estão incluídos nos desígnios sublimes da evolução e que as suas possibilidades são relativas ao grau de inferioridade dos seres humanos com os quais intercambiam.

Pensando realizar o que lhes apraz, não obstante são instrumentos da Justiça Divina, fazendo que se ajustem aos deveres muitos outros Espíritos igualmente doentes, que já se encontram em fase de recuperação e de crescimento interior.

Certamente o Pai não necessita, em razão dos incomparáveis recursos de que dispõe, todavia, porque se prestam ao mister, realizam, sem que o percebam, os objetivos superiores da Criação.

Dessas Organizações saíram homens e mulheres que fomentaram guerras, intrigas sórdidas, crimes hediondos, realizando no planeta a materialização de Instituições e Partidos voltados para o mal, de Entidades e Movimentos que assinalaram o processo terrestre com as marcas da crueldade, da anarquia, do absurdo sofrimento imposto aos demais seres… Assinalados pelo desequilíbrio em que se asfixiam, transferem para os seres humanos reencarnados, que invejam e malquerem, os dardos do ódio e da tirania, trabalhando com assiduidade na sevícia que pretendem aplicar em todos aqueles que estão distantes do seu infame contato.

A criatura humana não se encontra sem a proteção de Mais Alto, ficando à mercê da perversidade desses algozes espirituais inditosos. Sucede, porém, que a hipnose da matéria faz que haja maior soma de afinidade com o egoísmo e seus sequazes, do que com o amor e seus cômpares, sintonizando com as faixas grosseiras do mundo espiritual e os seus habitantes.

São os considerados demônios ou satanases das lições evangélicas, as forças do mal, a sombra que acompanha o ser, o negativo da vida, os obsessores… Todos Espíritos criados por Deus, ainda afeiçoados ao crime e à desídia, transitoriamente aguardando a oportunidade de crescimento no rumo da Grande Luz que a todos nos atrai.

Cultores, incontáveis, da inteligência e do raciocínio rápido, não desenvolveram os sentimentos que dão valor ao conhecimento, permanecendo nas áreas do processo evolutivo sem emotividade, portanto, dominados pelos propósitos inferiores que demonstram o absurdo da cultura que se divorciou dos valores éticos ensandecendo-os.

Hábeis na arte brutal de confundir e de perturbar o raciocínio daqueles que se lhes vinculam, são geradores de polêmicas inúteis ou grosseiras, nas quais predominam a agressividade e até mesmo o crime como forma de desforço pessoal, imiscuemse psiquicamente nos grupamentos humanos, dando força ao desequilíbrio que destrói as mais belas edificações da fraternidade e da esperança, graças, porém, àqueles que lhes dão guarida. Reencarnam-se muitos periodicamente para se tornarem a chibata que zurze o sofrimento sobre o dorso da Humanidade, enquanto outros se demoram multissecularmente nas paisagens sombrias e terríveis onde estagiam.

Organizam-se com imensa astúcia, arrebanhando outros recém-desencarnados para os seus grupamentos, nos quais a hipnose e os métodos persuasivos mais vigorosos são utilizados para dominar mentes e sentimentos que passam a servi-los com submissão.

Em face dos recursos mentais de que dispõem e à perseverança nos propósitos soezes que mantêm, acompanham os idealistas e servidores da Verdade com planos macabros que esperam converter em realidade, acalentando o desejo de eliminá-los a qualquer preço.

Dispondo de outra dimensão de tempo, aguardam que as suas vítimas em potencial depereçam no ânimo, experimentem desencanto, sofram circunstâncias menos felizes, provem da taça da amargura ou do desprazer, se apresentem enfermas ou fragilizadas para as influenciarem, criando situações embaraçosas umas e falsas outras, assim afastando-as dos compromissos assumidos e caindo nas malhas das redes da sua astúcia.

Utilizam-se de todos os motivos ou agem mesmo que sem motivo algum, desde que possam levar adiante o infame projeto de combate contra o Amor Total, insinuando-se, atirando pessoas inescrupulosas contra os heróis da bondade e do esforço moral, recrutam indivíduos de má índole para os sitiarem, usam de métodos sórdidos para envolvê-los, produzindo psicosfera pestífera que asfixia quem se permite entrar em sintonia com as suas sutis insinuações.

Suavemente ou pela violência atiram-se contra aqueles que consideram inimigos, que devem ser vencidos, e acreditam insanamente na vitória que esperam conseguir. Ninguém se acredite isento desse sítio nefando das Organizações do mal, que procedem da Erraticidade inferior .. Analisando as próprias deficiências, o discípulo do Evangelho e servidor da Verdade, ou o idealista que ambiciona tornar melhor o mundo, mantenha-se em vigília constante, a fim de não ser fascinado pelo canto mentiroso das suas sugestões falsas, que são o início da tormenta que logo mais desabará.

Precatem-se na oração e na ação da caridade, vivenciem o perdão e a fraternidade, cultivem o amor e a tolerância, resguardando-se das insinuações da maledicência, do ressentimento, do amor-próprio ferido, do melindre, de todos esses facínoras morais que permanecem em a natureza humana, observando as nascentes do coração, e, sem desanimar nunca, avancem, os trabalhadores de Jesus, convidados à Sua seara nesta última hora, absolutamente confiantes no êxito da reencarnação na qual se encontram.

O Bem é sempre o grande vencedor. Jesus é o Herói da cruz e da crueldade. Ensinou-nos, em advertência, a pedir ao Pai que nos livre do mal, que reside em nós ou que vem atraído por nós, a fim de conseguirmos alcançar o Calvário libertador que se coroará de luzes após vencida a etapa do processo evolutivo em que todos nos encontramos.

Manoel P. de Miranda (Página psicografada pelo médium Divaldo P. Franco, na noite de 8 de fevereiro de 2002, em reunião mediúnica do Centro Espírita Caminho da Redenção, em Salvador, Bahia.)