Mensagem psicografada por Divaldo Franco no 5º Congresso Espírita Mundial

image_pdfimage_print

“Queridas irmãs e queridos irmãos de alma. Que a paz do Mestre Jesus permaneça em nossos corações. A sociedade terrestre nunca teve tanta cultura, ciência e tecnologia como na atualidade. Enquanto isso, jamais houve tanta dor e aflição como nestes dias. O sofrimento alcança níveis jamais antes experimentados. A fome envergonha a civilização e ameaça muitos milhões de vidas, não contando o número absurdo daqueles que, sobrevivendo à calamidade, permanecerão marcados com as degenerações que resultarão do terrível flagelo.

As doenças infecto-contagiosas ampliam seus territórios chegando a todos os vilarejos da Terra, pese as admiráveis conquistas da Medicina e da Farmacologia. O egoísmo predomina no ser humano, individualmente, em grupos, coletivamente, demonstrando que os ciclos de ética e de civilização não mudaram realmente a sociedade.

Há carência de amor num mundo rico de coisas que, poderiam solucionar, pelo menos, agen bola uma grande parte dos padecimentos da Terra. Jamais houveram tantas correntes filosóficas e denominações religiosas, e tão pouca religiosidade. O cristianismo completa dois mil anos e nos perguntamos: o que fizemos de Jesus? Como confundimos as Suas palavras, adaptando-as aos nossos interesses inferiores?

Felizmente, agora, vivemos o momento do Consolador, conforme Ele nos prometeu, graças ao heroísmo de Allan Kardec, o nobre codificador. O Espiritismo chega no momento quando as doutrinas científicas podem confirmar seus postulados e paradigmas, no instante quando há discernimento cultural para superar as antigas calúnias a respeito dos enganos com que lhe quiseram confundir. Suas propostas ético-morais, centradas no Evangelho de Jesus, constituem as diretrizes de segurança para se construir a nova sociedade do porvir…

Sua pedagogia moral, elaborada pelos princípios para a renovação espiritual, constitui a ferramenta preciosa para libertar o ser humano da ignorância, do fanatismo e da indiferença à vida. Desmistificando a morte, amplia os horizontes da vida, oferecendo sentido e significado sociológico à existência carnal.

Inicia-se, dessa maneira, o amanhecer da nova era. É certo que há muitas sombras… Porém, a meia-noite, que é o ponto máximo das trevas, tendo um minuto além dela, poder-se-ia considerar-lhe. o início de um nova alvorada. Vamos nos alegrar, porque vivemos a grandiosa hora de inauguração do período da imortalidade entre os seres humanos.

O século passado caracterizou-se pelas conquistas científicas e tecnológicas, começando ali o período da comunicação virtual, superando distancias e isolando as criaturas diante dos computadores, destruindo assim as relações pessoais, as relações de vida. Neste século, entretanto, apesar dos sofrimentos superlativos destes dias, pertencem o amor, o belo, a religiosidade humana, a arte e a espiritualidade.

Aos espíritas, sem desprezar outras pessoas e doutrinas, lhes cabe a tarefa extraordinária de modificar as estruturas morais e psicológicas da atualidade, inaugurando assim, o período da paz. Empreender o compromisso de servir e realizar o bem é dever intransferível que, todos os espíritas, encarnados e desencarnados, devemos impor a si próprios, sem desculpas e sem justificativas para fugir da responsabilidade.

Colômbia, na heróica Cartagena das Índias, está recebendo nestes dias um expressivo número de espíritas do mundo… Sob a inspiração de Jesus Cristo e por intermédio do libertador Simón Bolívar e de muitos outros próceres de nosso amado país, escrevem nos Espíritos e nos corações os ensinamentos de amor e de conhecimento. para promover a paz, a justiça social e a felicidade de nosso amado povo.

Uribe e São Pedro Claver assistem a este 5º Congresso Espírita Mundial, acompanhando os palestrantes, orientando-os a definir novos rumos da verdade para o amanhã. A nós cumpre a tarefa de servir e servir, pois, esta é a nova determinação que vem do Alto. Espíritas, amai-vos, anunciou o Espírito de Verdade como primeiro mandamento, para que possais instruir-vos para melhor servir.

Quem não vive para servir ainda não aprendeu a viver. Esta é, pois, a hora de avançar no rumo do porvir. Sem olhar para trás, vamos adiante, obstinados, abandonando nossas rivalidades, dissensões, paixões inferiores, e vivamos a legítima fraternidade. Mais importante que saber, é aplicar o conhecimento em favor do ser.

Nós, que nos encontramos na erraticidade e que vivemos na Terra o ideal espírita, estamos em pé, em luta, e vos convocamos irmãs e irmãos espíritas, para começarmos, hoje e agora, a obra da redenção humana, iniciando assim, o mundo de regeneração. Agradecendo a todos pela realização desta celebração cristã de paz e de luz, vos abraça com infinito carinho e ternura, vossa servidora de ontem, de hoje e de amanhã.”
Ana Fuentes de Cardona


Mensagem psicografada por Divaldo Pereira Franco no dia 12 de outubro, ditada pelo Espírito de Ana Fuentes de Cardona, no 5º Congresso Espírita Mundial, acontecido em Cartagena das Indias, Colômbia. Texto traduzido por Alexandre Assumpção da Rosa.